Chapecoense bate o Zulia na Venezuela e estreia com vitória na Libertadores

Verdão domina o jogo, dá pouco espaço para o time da casa e vence na estreia do grupo 7 com gols de Reinaldo e Luiz Antonio; Arango desconta, e Verdão leva pressão no fim, mas segura resultado: 2 a 1

NÃO PODIA SER MELHOR

A Chapecoense começou a Libertadores com o pé direito. Fora de casa, o time catarinense jogou como time grande, não deu espaços ao Zulia e saiu com uma vitória expressiva por 2 a 1. A equipe verde e branca dominou o primeiro tempo, saiu na frente com Reinaldo em cobrança de falta, ainda ditou o ritmo da etapa complementar e chegou ao segundo com Luiz Antonio, de fora da área. O time da casa ainda diminuiu o marcador com Arango, deu sufoco nos minutos finais, mas não teve forças para empatar.

 

FICA ASSIM!

Com a vitória, a Chapecoense arranca bem na Libertadores e assume a ponta do grupo 7. Pelo menos até a próxima quinta-feira, quando acontece o outro jogo do grupo, entre Lanús e Nacional, na Argentina. O zulia segue zerado.

 

QUANDO VOLTA?

O próximo compromisso da Chapecoense pela Libertadores é no dia 16 de março, uma quinta-feira, contra o Lanús, às 19h30, na Arena Condá, em Chapecó. O Zulia enfrenta o Nacional, no dia 15, fora de casa. Antes de enfrentar o Lanús, o time verde e branco entra em campo pelo Campeonato Catarinense, contra o Inter de Lages, no dia 11 de março.

 

QUE ESTRELA

As bolas paradas estavam todas com Luiz Antonio, mas Reinaldo pediu uma para ele. Nem era uma posição considerada boa para a cobrança direta, mas com ângulo razoável para um canhoto colocar na área. Porém, não quis se contentar com uma assistência. Ele queria mais. Bateu direto, pegou o goleiro Vega de surpresa, abriu o caminho para a vitória e colocou o nome na história do Verdão, como primeiro chapecoense a marcar um gol na Libertadores.

 

OUTRA ESTRELA

Mancini apostou no volante Luiz Antonio mais avançado, quase que como um meia, e foi recompensado, com o gol que garantiu a vitória da Chape. Pé quente na Libertadores, os três primeiros gols do Luiz na carreira foram na competição, em 2012, pelo Flamengo. Um deles pelo Fla, por sinal, foi sobre o Lanús, rival da Chapecoense no próximo dia 16, na Arena Condá

 

1º TEMPO

O jogo começou truncado, com as equipes dividindo as ações. O Zúlia chegou a assustar em uma cobrança de falta, mas depois só deu Chape. O Verdão se postou bem em campo e pressionou a equipe da casa. Em uma boa jogada pelo meio, Luiz Antonio lançou Niltinho, puxado dentro da área, mas o árbitro não deu. A Chapecoense continuou mostrando personalidade. Aos 18, Girotto subiu mais alto que a defesa e cabeceou no contrapé, para baixo, mas o goleiro Vega fez grande defesa em cima da linha.
Em campo, o torcedor pode ver um time aguerrido, tal qual os eternos guerreiros que conquistaram o título da Sul-Americana. A vontade fez Niltinho não desistir de um lançamento: alcançou a bola e foi derrubado. Reinaldo foi para a bola e a bola foi para o gol. Ele chutou direto, a defesa tentou cortar, mas não impediu  primeiro gol do time na história da Libertadores. Na comemoração, boa parte do time se ajoelhou em campo e apontou em direção ao céu, em memória daqueles que deram a vida pelo clube.

 

2º TEMPO

O Zulia voltou diferente. Com mais disposição, forçou lançamentos longos para Unrein. A equipe da casa passou a fazer exatamente aquilo que previu Mancini: alçar bolas longas buscando casquinha. Aos 12, a equipe venezuelana assustou Artur Moraes em uma dessas jogadas, mas o impedimento foi marcado. Com dificuldade de sair jogando, a Chapecoense buscou explorar os contra-ataques. Depois de suportar a pressão, o time verde e branco finalmente chegou ao 2 a 0. Aos 23 minutos, João Pedro recebeu pela direita e deu um passe certeiro para Luiz Antonio, na meia-lua da grande área. O volante chutou de primeira, no canto direito, sem chances para Vega.

O Zulia não se entregou e deu a resposta 10 minutos depois. Em cobrança de escanteio no segundo pau, Zambrano testou para o centro da área e, sem marcação, Arango cabeceou para o fundo do gol: 2 a 1. Mancini promoveu a entrada de Apodi e o time verde e branco melhorou. O lateral teve duas chances e chegou a chutar uma bola no travessão do goleiro do Zulia. Mas o marcador não mudou mais.

G1 – GloboEsporte

 

 

Share This: